Natura Musical apresenta “Veia Nordestina II”, novo trabalho de Mariana Aydar

Depois de dar início ao lançamento de “Veia Nordestina” (Natura Musical) com o primeiro EP formado por três faixas que carregam sotaque baiano (Veia Nordestina, Se Pendura e Forró do ET), Mariana Aydar apresenta agora o segundo EP que chega às plataformas digitais no inicio de junho, “Veia Nordestina II”, abrindo as comemorações de uma das maiores festas populares e multiculturais do Brasil: a festa junina.

“A sonoridade desse segundo EP é mais tradicional que a do primeiro. Quis ser bem específica dentro do universo forrozeiro e trazer três músicas que já poderiam ter existido dentro desse balaio. É um capítulo junino neste projeto que traz três pilares do forró: o rastapé da quadrilha, o xote que chora e o forró sambeado”, diz Mariana.

Já se pode sentir o cheiro do pinhão, o barulho da pipoca estourando, o gosto do quentão e as cores vibrantes das bandeirinhas em “São João do Carneirinho”, essa música sensorial composta por Isabela Moraes nascida em Caruaru onde acontece o maior São João do mundo. A faixa ganha vida no resfolego jazzístico da sanfona de Mestrinho, nas guitarras psicodélicas de Rafa Moraes, na zabumba e no baixo marcados de Feeh Silva e Magno Vito e na eletricidade da MPC de Bruno Marques.

Isabela Moraes é um encontro importante na vida de Mariana e na construção de “Veia Nordestina”. É dela também a autoria de “Represa”, um xote da linhagem de Accioly Neto, inspirado em Flavio José, que arrebenta no coração. A música tem formação pé de serra com participação da elegante bateria de Pupillo.

“Xilique”, uma parceria de Mariana com o mestre Jorge de Altinho, encerra o segundo volume do disco. Vertente do samba de Jackson do Pandeiro e Jacinto Silva, este forró traz uma mulher empoderada que lamenta de um jeito irreverente e debochado uma desilusão amorosa.

O projeto “Veia Nordestina” foi selecionado pelo Natura Musical por meio do edital 2018, com o apoio da Lei Rouanet. “A música é uma das grandes expressões da Natura desde 2005, quando criamos o Natura Musical. Acreditamos na sua força para conectar pessoas, valorizar a criatividade brasileira, reverberar a diversidade e inspirar um mundo melhor”, diz Fernanda Paiva, gerente de Marketing Institucional da Natura. “É possível identificar esses fatores no novo disco de Mariana Aydar. Nele, a artista revisita gêneros como o forró e o xote e apresenta versões que geram identificação e conexão com

diferentes públicos”, completa.

“Quero traduzir o meu forró, a minha maneira de ver o gênero reinventando, instigando, trazendo elementos contemporâneos na sonoridade e no discurso, sem perder a alma pé de serra do clássico power trio: zabumba, triângulo e sanfona”, explica Mariana.

Sobre Veia Nordestina

O projeto será lançado ao longo de 2019, com quatro EPs que formam um disco físico no final do ano, todos com produção musical de Marcio Arantes, e um minidocumentário de quatro episódios. O minidocumentário é dirigido por Dellani Lima e Joaquim Castro, parceiro de Mariana na direção do documentário Dominguinhos (2014), se baseia em quatro temas que rodeiam a história da cantora com o forró. O primeiro episódio que

estreou em maio, aborda a chegada do forró a São Paulo e a chegada de Mariana ao forró. Os próximos três episódios que estreiam no canal do YouTube da artista também serão lançados ao longo de 2019.

Sobre Mariana Aydar

O forró é a influência musical mais marcante no som de Mariana, que alia sofisticação e contemporaneidade às suas raízes da música nordestina. A paixão nasceu na infância, no colo de Luiz Gonzaga; percorreu a juventude como backing vocal de Daniela Mercury, passando por muitas casas de forró com sua banda Caruá. Ela sempre esteve em meio a xotes, xaxados e baiões.

A paixão pela cultura do Nordeste pautou a estreia como diretora de cinema – ao lado de Joaquim Castro e Dudu Nazarian – no filme “Dominguinhos” (2014), documentário sobre o músico com quem teve uma relação especial.

Para difundir a música nordestina, criou o bloco “Forrozin”. O bloco fez um debut inesquecível no carnaval de São Paulo, em 2018, ao lado de Gilberto Gil. No Carnaval de 2019, mais uma vez, arrastou uma multidão de foliões para a Avenida Ipiranga com São João.

Considerada um elo entre o novo e o tradicional, a cantora lançou-se sem medo às novas experiências, retomando suas origens forrozeiras e voltando a ser uma compositora atuante. Uma voz feminina empoderada, necessária e atual em um ambiente marcado pelo conservadorismo.

Sobre Natura Musical

Natura Musical é a principal plataforma de patrocínio da marca Natura. Desde seu lançamento, em 2005, o programa investiu R$ 132 milhões no patrocínio de 418 projetos – entre CDs, DVDs, shows, livros, acervos digitais e filmes. Os trabalhos artísticos renovam o repertório musical do país e são reconhecidos em listas e premiações nacionais e internacionais.

Em 2018, o edital do programa selecionou 50 projetos em todo o Brasil, entre artistas, bandas e coletivos, e estabeleceu parcerias com 10 festivais independentes de Norte a Sul do país. A plataforma digital do programa leva conteúdo inédito sobre música e comportamento para mais de meio milhão de seguidores nas redes sociais. Em São Paulo, a Casa Natura Musical se tornou uma vitrine permanente da música brasileira, com cerca de 100 shows para adultos e crianças ao longo de 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *