Natura Musical apresenta “Veia Nordestina III”, de Mariana Aydar

Terceira parte do projeto chega às plataformas digitais. No lançamento do terceiro EP de Veia Nordestina, a cantora e compositora Mariana Aydar questiona o público sobre o atual momento vivido no Brasil e no mundo, contesta o retrocesso que nos rodeia, diz sim à diversidade em todas suas formas, tons e gêneros e se afirma como uma voz de uma mulher que conduz sua própria vida e que segue descobrindo e aprendendo cada vez mais sobre a importância do feminismo.

Veia Nordestina III é, sem dúvidas, o EP mais instigante do disco lançado ao longo de 2019 com produção musical de Marcio Arantes. O terceiro volume do disco já começa com um xote moderno todo feito com elementos sampleados do forró – zabumba, triângulo e sanfona. “Condução” é a história da mulher que quer conduzir na dança e em sua própria vida.

A segunda faixa, “Triste, Louca ou Má”, de autoria dos integrantes da banda Francisco, El Hombre, é uma regravação de um hino feminista da geração atual que dá voz a todas as mulheres, que abraça e dá espaço para que elas possam juntas, se manifestar, se empoderar e nunca se sentirem sozinhas. A música conta com a participação especial de Maria Gadu, grande amiga, ativista e inspiração para Mariana.

Gravada ao vivo com a banda que acompanha Mariana nos palcos e com a participação elegante da sanfona de Lulinha Alencar, esse clássico interpretado pela cantora e compositora Juliana Strassacapa em sua versão original, ganhou uma roupagem forrozeira para entrar no repertório de Veia Nordestina.

A música que encerra o terceiro volume do disco, é um samba de partido alto que dialoga muito bem com o forró e mostra como é natural a conexão entre esses dois ritmos tão ricos da música brasileira. Com autoria de Fernando Procópio e Tinho Brito, “Na Boca do Povo” é uma divertida crítica à sociedade machista, conservadora, preconceituosa e violenta em que vivemos, principalmente nos dias e no governo atual.

O projeto “Veia Nordestina” foi selecionado pelo Natura Musical por meio do edital 2018, com o apoio da Lei Rouanet. “A música é uma das grandes expressões da Natura desde 2005, quando criamos o Natura Musical. Acreditamos na sua força para conectar pessoas, valorizar a criatividade brasileira, reverberar a diversidade e inspirar um mundo melhor”, diz Fernanda Paiva, gerente de Marketing Institucional da Natura. “É possível identificar esses fatores no novo disco de Mariana Aydar. Nele, a artista revisita gêneros como o forró e o xote e apresenta versões que geram identificação e conexão com diferentes públicos”, completa.

“Quero traduzir o meu forró, a minha maneira de ver o gênero reinventando, instigando, trazendo elementos contemporâneos na sonoridade e no discurso, sem perder a alma pé de serra do clássico power trio: zabumba, triângulo e sanfona”, explica Mariana.

Sobre Veia Nordestina

O projeto será lançado ao longo de 2019, com quatro EPs que formam um disco físico no final do ano, todos com produção musical de Marcio Arantes, e um minidocumentário de quatro episódios. O mini documentário é dirigido por Dellani Lima e Joaquim Castro, parceiro de Mariana na direção do documentário Dominguinhos (2014), se baseia em quatro temas que rodeiam a história da cantora com o forró. O primeiro episódio que estreou em maio, aborda a chegada do forró a São Paulo e a chegada de Mariana ao forró. Os próximos três episódios que estreiam no canal do YouTube da artista também serão lançados ao longo de 2019.

Sobre Mariana Aydar

O forró é a influência musical mais marcante no som de Mariana, que alia sofisticação e contemporaneidade às suas raízes da música nordestina. A paixão nasceu na infância, no colo de Luiz Gonzaga; percorreu a juventude como backing vocal de Daniela Mercury, passando por muitas casas de forró com sua banda Caruá. Ela sempre esteve em meio a xotes, xaxados e baiões.

A paixão pela cultura do Nordeste pautou a estreia como diretora de cinema – ao lado de Joaquim Castro e Dudu Nazarian – no filme “Dominguinhos” (2014), documentário sobre o músico com quem teve uma relação especial.

Para difundir a música nordestina, criou o bloco “Forrozin”. O bloco fez um debut inesquecível no carnaval de São Paulo, em 2018, ao lado de Gilberto Gil. No Carnaval de 2019, mais uma vez, arrastou uma multidão de foliões para a Avenida Ipiranga com São João.

Considerada um elo entre o novo e o tradicional, a cantora lançou-se sem medo às novas experiências, retomando suas origens forrozeiras e voltando a ser uma compositora atuante. Uma voz feminina empoderada, necessária e atual em um ambiente marcado pelo conservadorismo.

Sobre Natura Musical

Natura Musical é a principal plataforma de patrocínio da marca Natura. Desde seu lançamento, em 2005, o programa investiu R$ 132 milhões no patrocínio de 418 projetos – entre CDs, DVDs, shows, livros, acervos digitais e filmes. Os trabalhos artísticos renovam o repertório musical do país e são reconhecidos em listas e premiações nacionais e internacionais.

Em 2018, o edital do programa selecionou 50 projetos em todo o Brasil, entre artistas, bandas e coletivos, e estabeleceu parcerias com 10 festivais independentes

de Norte a Sul do país. A plataforma digital do programa leva conteúdo inédito sobre música e comportamento para mais de meio milhão de seguidores nas redes sociais. Em São Paulo, a Casa Natura Musical se tornou uma vitrine permanente da música brasileira, com cerca de 100 shows para adultos e crianças ao longo de 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *