Segundo Sol: Karola pede perdão para Valentim

Em Segundo Sol, na Globo, Karola (Deborah Secco) está passando por um momento difícil. Foi desmascarada e todos já sabem que ela e Remy (Vladimir Brichta) mantiveram um caso. Agora, ela terá que se explicar para Valentim (Danilo Mesquita), seu filho, que está muito impactado com a situação toda e acabará lhe concedendo o perdão. Confira.

“Tá com alguém? Nunca vi trancar a porta assim…”, dirá Valentim, ao chegar em casa. “Medo… medo de ser atacada, linchada…”, responderá Karola. “Talvez você merecesse mesmo isso”. “Não fale assim comigo, qualquer um pode falar isso, você não, Valentim…”, pedirá.

“Eu sempre acreditei em você, sempre lhe defendi, confiei em você… escondi suas mentiras de meu pai pra lhe proteger, e você tava me usando! Eu fui um palhaço na sua mão, um idiota! Que espécie de mãe é você?!”.

Karola tenta se explicar

“Não misture as coisas, meu filho”. “Tá tudo misturado! Ou você acha que dá pra separar que minha mãe, minha mãe que eu idolatrava, era amante de meu tio, traiu meu pai, traiu toda minha família!? A defensora do lar, a boa esposa, tão apaixonada… tudo caô, descaramento! Como você pôde ser tão podre?!”, rebaterá.

“Você viu como seu pai me tratava, me desprezava, me humilhava… eu amava seu pai, sim, sempre amei, ainda amo…”. “Eu vi, amava meu pai e se deitava com meu tio…”. “Carência, Valentim, desamor… eu precisava de alguém que dissesse que sentia amor por mim, e isso eu tinha de Remy”.

Valentim detona Karola

“Que ele não valia nada eu já sabia, mas você… Você só tava com meu pai por dinheiro, nunca amou ele, nunca amou meu tio, nunca amou ninguém… Nem no seu amor por mim eu consigo mais acreditar”. “Eu lhe amo mais que tudo em minha vida…”. “Eu não acredito em mais nenhuma palavra que sai de sua boca… você só sabe mentir, enganar”.

“Eu dou minha vida por você se for preciso”. “Você chama de vida isso? Um monte de mentiras, de falcatruas, eu tenho vergonha de você, vergonha de ser seu filho!”. “Não diga isso, eu não tenho mais nada, não tenho mais ninguém”. “Mas é o que você conseguiu, você escolheu isso… tá se sentindo humilhada? Imagina como a gente tá se sentindo por sua culpa!!!”.

“Eu sei… me perdoa, meu filho… eu sou capaz de suportar tudo, menos ver você contra mim, menos perder seu amor… Eu não queria ser assim, eu juro… infelizmente não sou a mãe que você merecia, mas mesmo com todos os meus defeitos, com todas as minhas falhas, minhas mentiras, eu lhe amo mais que tudo, acima de tudo, e você sabe que isso é verdade… Se não fosse por você, eu poria fim em minha própria vida pra não prolongar ainda mais tanta dor…”, falará aos prantos.

Karola se vitimiza

“Para, não adianta apelar, mãe, eu não vou cair na sua chantagem emocional! Eu não sei quem é você”. “Não sabe… não sabe mesmo… ninguém sabe na verdade o tanto de sofrimento que já passei. O que me fez ser tão errada. Todo mundo me julga porque eu gosto de viver bem, me vestir bem, comer bem… mas quem me condena nunca passou fome, nem frio… eu saí da miséria, mas a miséria nunca saiu de mim… eu queria ter tido uma mãe, nem que fosse uma mãe como eu… desde que ela me amasse… mas não tive, nem tive pai… cresci numa maldita instituição pra menores, órfã… sem carinho…”.

“Você tá inventando tudo isso”, falará chocado. “Eu queria, queria mesmo que fosse mais uma mentira minha, pelo menos não doía… Meu sonho sempre foi ser mãe, sempre achei tão linda essa palavra: mãe… eu queria ter um filho pra dar pra ele todo amor que eu nunca recebi… e veio você, minha maior alegria, meu amor mais lindo, mais verdadeiro. Isso ninguém vai me tirar, Valentim, a certeza de que eu fui mãe de verdade, que amei meu filho de verdade… Por isso eu sou capaz de entender a sua decepção. Quem sabe um dia, quando seu filho nascer, você consiga me perdoar…”.

Valentim cede

“Eu lhe perdoei tantas vezes, sabia? Lhe defendi tantas vezes… mas não dá mais, tudo seu é por dinheiro…”. “É aquele dinheiro, não é… você quer aquele dinheiro? Eu lhe dou tudo que eu tenho, não quero mais nada, juro, só quero seu perdão, seu amor… não me abandone, você veio pra minha vida pra preencher um vazio muito grande que eu tinha em meu coração, não me obrigue a sentir aquele desamparo de novo, meu filho… eu lhe imploro…” Neste momento, Valentim a abraçará. “Me perdoa… me perdoa, meu amor…”, concluirá ela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *