Grande revelação do samba, cantor Darlan lança segunda para de EP que se inspira em sua própria história como deficiente visual



“Ser Feliz Ou Ter Razão”, “Fechecler”, “Auto Defesa” e “Segundo Lugar” foram as canções escolhidas pelo cantor Darlan para expressar suas emoções durante algumas fases de sua vida, e que fazem parte da continuação do seu EP audivisual, “Meu Mundo Particular”. O projeto está sendo disponibilizado nas plataformas digitais nesta sexta-feira, 11, e chega trazendo a participação especial do violinista Israel Pessoa. “Eu espero que o público embarque nesta mesma emoção que eu estou sentindo e viagem em cada história cantada neste EP pensado com tanto carinho”, se anima.

O projeto sai pela Soull Music BR, em parceria com a Sony Music e aposta na canção “Ser Feliz Ou Ter Razão” como grande promessa de hit. “Essa é uma música que a minha esposa chora escutando, e que eu já sonhei em estar escutando nas ruas. Inclusive é uma das minhas grandes apostas porque eu acho que muita gente vai se identificar com ela”, conta Darlan sobre a música que traz sonoridade que passeia por todo o romantismo do pagode, para provocar uma reflexão sobre o que realmente vale a pena para estar ao lado de quem se ama, estar certo, ou saber aproveitar cada momento com seu amor?

A música, aliás, abre a sequência de clipes, que serão lançados de forma individual nas próximas semanas. “Cada música lançada, assim como cada parte da nossa vida, a ansiedade é muito grande. E esse é um projeto muito especial pra mim como um todo. Desde todos os músicos que participaram, o local onde gravamos, toda a escolha de repertório… É um trabalho que tem muita dedicação minha e de toda a minha equipe e marca uma grande virada na minha carreira”, conclui Darlan.

Sobre o Darlan

Grande promessa do samba, Darlan George Aleixo Cardoso, ou simplesmente Darlan, descobriu sua paixão pela música ainda muito cedo, quando usava chinelos e garrafas para já fazer alguns sons. Morador de Senador Camará, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, o artista, de 27 anos, cantava em rodas de samba Brasil a fora, e sempre impressionava pela grande potência em sua voz. Em 2020 assinou contrato com a Soull Music BR e de lá para cá vem se dedicando com muito carinho ao seu primeiro DVD, que pretende mostrar um pouco do mundo particular do cantor, que já nasceu com a deficiência visual.

“As dificuldades que eu enfrentei na carreira, foram as dificuldades que todo músico quer chegar a algum lugar enfrenta. A galera muitas vezes até esquece que eu não enxergo, porque sempre agi como uma pessoa vidente. Na vida também sempre tive as dificuldades normais à qualquer pessoa. Eu até costumo muito brincar com isso, porque sempre fui um cara para cima, como a maioria dos meus amigos cegos também, porque a nossa deficiência não nos limita, o que nos limita é a nossa mente”, conclui o cantor.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *