Cantor Maciel Valente abre o coração e revela verdades sobre o primo Mano Walter, “Nunca me convidou pra cantar”

Mano Walter, um dos maiores artistas de forró do Brasil, cresceu na zona rural e começou a cantar e compor acompanhando seu pai nas vaquejadas e festas da região. A história do vaqueiro se assemelha a do seu primo Maciel Valente, também cantor do mesmo segmento.

Maciel vem conquistando seu espaço com muita dificuldade no mercado da música e também duras críticas por resolver seguir os passos do primo famoso. Em entrevista ao Canal da apresentadora Lisa Gomes, o cantor abre o coração e conta porque a relação dele com Mano Walter não é mais a mesma, “A primeira vez que subi no palco foi no dia 28/10/2008, me lembro como se fosse agora. E como somos da mesma cidade tem pessoas que falam bem e falam mal e gerou muita repercussão porque o primo do Mano Walter estava cantando, também gerou muito conflito com isso e nossa família ficou um pouco distante. Não precisava disso, fomos criados juntos e a relação família é muito forte, então eu jamais queria estar separado do meu primo”, conta.

Mano Walter se tornou referência para muitos artistas que interpretam canções sobre a realidade do vaqueiro, “Meu primo também foi inspiração pra mim. Quando vi meu primo cantando, me imaginei cantando, até ao lado dele, porque nós cantávamos juntos quando éramos pequenos. Mas eu nunca convidei ele pra cantar e ele também nunca me convidou. Desde do dia que comecei a cantar profissionalmente, nossa relação ficou um pouco distante. Realmente nossa amizade não é como éramos quando criança, essa relação não ficou muito legal. A gente se fala, não vou dizer que a gente não se fala, mas hoje, como dois estranhos, não éramos assim, eu era o primeiro irmão dele. Mas tenho certeza que nós vamos voltar ao que éramos antes, independente de música, e ela não precisa invadir nossa vida, precisamos ser primos e o amor não acabou”, diz emocionado.

O dono do hit ‘Tô Voltando Tô’ garante que não sente inveja de Mano, “Eu escutei algumas coisas que ficaram na mente, fiquei muito triste. Disseram que eu estava fazendo vergonha a família e que eu deixasse de cantar, acho que não podiam ter me julgado, não tenho inveja de ninguém e continuo lutando”.

As ofensas e comparações permanecem até hoje, mas o cantor resolveu tomar uma atitude para acabar com as comparações com o primo Mano Walter, “Eu escutava muito ele e vendia cd dele e tudo, e muitas pessoas falavam que eu queria imitá-lo. Por causa disso, tem mais de 10 anos que não escuto meu primo. Machuca, mas não tenho mágoa de ninguém e nem preciso disso. O sol nasce pra todo mundo e eu também posso chegar e tô chegando”.

Assista:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *